Sankalpa, viver com intenção

Lembro-me da primeira vez que ouvi o meu coração, que tive a certeza que aquele pensamento quase inconsciente não vinha da minha parte racional e que era muito mais do que um simples pensamento e de ter automaticamente pensado “isto não faz sentido”. Fiquei durante alguns meses com aquela sensação de que aquilo que sentia não estava correto e que mais cedo ou mais tarde haveria por passar… Não passou! E a minha vida mudou de um dia para o outro. Surgiram forças e uma coragem para assumir o desconhecido que não fazia ideia que seria possível no momento da vida que estava a viver. Depois disso, estive alguns anos sem pensar naquele momento até que comecei a praticar yoga, a meditar e a escutar de uma forma mais consciente, a abraçar e a aconchegar o centro do meu peito depois das práticas. Encontrei uma forma de partilhar esse momento de uma forma muito própria e comecei a receber testemunhos de que outras pessoas viviam o mesmo que eu tinha sentido anos antes e tudo ganhou um novo significado! Também isso fez surgir uma nova sankalpa na minha alma: este é o meu propósito!

Mas afinal, o que é isto de sankalpa? A palavra vem do sânscrito e numa definição simplificada, significa resolução ou intenção profunda. Eu gosto de transformar tudo aquilo que aprendo e criar a minha própria linguagem na forma como partilho estes conceitos e encaro-a como

a intenção mais pura do teu coração

Partilho-a entre respirações, movimentos e pausas das aulas, espaços em que chamo toda a atenção de quem comigo pratica para o aqui e agora e para a consciência de escutar o coração e ouvir sinceramente aquilo que ele tem para dizer sobre o que quer, o que precisa. Aquele desejo que vem das entranhas da tua alma e que por muito que o contraries ou que negues mais cedo ou mais tarde vai florescer dentro de ti! Parece poético, e ao mesmo tempo assustador… Como é que controlo isto? Como é que consigo fazê-lo? E se os pensamentos que cruzam a minha mente não são positivos? E se não me vão tornar ou levar a um lugar melhor na minha vida?

Não acredito que exista uma linha definida ou uma regra que defina que tudo aquilo que vai surgir daqui é o mais certo para ti, mas acredito que podes trabalhar nisso! Que o poder da manifestação é verdadeiramente poderosa quando alinhas os teus sonhos e ambições com esta devoção a ti, ao teu propósito e a tudo aquilo que anseias conquistar de uma forma plenamente sincera contigo própria. Como? Chama-lhe o que quiseres, eu gosto de lhe chamar rituais, momentos únicos de rotina consciente que transformam a tua perceção pela rotina em algo que anseias que aconteça no meio do teu dia-a-dia, da semana, do mês…

Estou agora a pensar num outro conceito que partilho imenso, um dos mistérios nesta nossa fluidez com a natureza – a magia da lua e da ligação que principalmente nós mulheres sentimos com ela. Todos conhecemos as danças à lua, as cerimónias ancestrais ou o facto de que todos nos sentimos maravilhados com os fenómenos que acontecem entre a Lua e o Sol, os Astros. A Lua é cíclica, todas as fases trazem algo de diferente à natureza e independentemente daquilo que acontece no Mundo, continua com os seus ciclos e isso pode ajudar-te a lembrar que independentemente de tudo o que acontece ao teu redor, tu deves continuar a seguir o teu rumo. Gosto de orientar este poder da manifestação com estas fases da lua mas hoje queria mesmo focar-me na forma como podes dar espaço ao teu coração para se fazer ouvir ou para que transformes esta ligação em algo suficientemente forte para que o sintas de uma forma natural num futuro próximo. E por isso tenho um desafio, obviamente!

Hoje é dia de Lua Nova, o momento perfeito para começares a implantar uma nova intenção na tua vida. Por isso, que tal dedicares uns breves instantes a este ritual antes de adormeceres? Não interessa onde o fazes, se na cama, na cozinha ou na casa de banho, mas faz este esforço!

1 – Coloca as mãos sobre o teu coração, podes até fechar os olhos, e sente os batimentos do teu coração

2 – Deixa a respiração fluir de uma forma natural e tenta simplesmente observar o seu ritmo, a cadência, quanto tempo demoras a inspirar e quanto tempo demoras a expirar

3 – Sorri e agradece, fica durante alguns instantes nesse lugar de quietude e encontra aquilo que está guardado dentro desse lugar único dentro da tua alma

Sem complicações, sem nomes complicados ou técnicas de meditação ou respiração. A única coisa que tens de fazer é aparecer para ti própria!

Durante este mês fazemos apenas isto, pode ser? A semana passada partilhei algumas dicas sobre como manter a disciplina nas nossas rotinas e podes sempre recorrer a algumas delas para te lembrar de que és capaz de manter esta, lembra-te que são apenas alguns minutos, aqueles com que te sentires confortável! Se nunca fizeste nada disto, vai ser fácil encontrar desculpas para adiar um, dois, três dias ou até mesmo decidires que não faz sentido mas acredita, mesmo que sejam alguns segundos ou que faças tudo isto de uma forma não tão ritualizada, sem olhos fechados, sem mãos no coração ou que dure apenas uma longa e forte inspiração e expiração, estás a implantar uma ideia, estás a ajudar o teu coração a ter tempo e aos poucos vais ficando mais e mais confortável com este tempo, este silêncio. Numa próxima oportunidade, adicionamos aqui um twist sobre mantas, que é como quem diz… Frases ou afirmações que quando repetidas criam uma vibração que ressoa de uma forma poderosa dentro de cada um e que permite apoiar e criar intenções incríveis. Encontramo-nos daqui a nada para mais dois dedos de conversa sobre yoga, rituais ou talvez um chá e umas panquecas?

Com carinho,

Ana

Post a Comment